quarta-feira, agosto 28, 2013

amizade, mistério de graça. sem farsa. fruto do nosso bem querer.

Eu já falei aqui, mais de uma vez, no quanto eu tenho certeza do amor do Rafa. Mesmo com conselhos para me afastar, gente torcendo contra, gente dizendo que eu devia mudar o nome do blog para cabeça dura.. enfim. Mesmo assim, eu sempre tive no meu peito, por mais sofrido que estivesse, a certeza desse sentimento recíproco.

Já falei também que meus amigos daqui não sabem de mim, converso com vários amigos que moram fora e nenhum, infelizmente, conhece o Rafa. Então eu tomei uma decisão de contar para uma amiga nossa, que até ja comentei aqui que ela sempre comenta que não entende o porque do Rafa insistir no relacionamento dele com o Tropeço. Essa nossa amiga, Luiza, sempre quando me encontrava me dizia baixinho que não me sentia feliz, se oferecia para me ajudar, dizia que eu não devia carregar nenhuma tristeza sozinho.

Eu já havia marcado inúmeras vezes de conversarmos, mas sempre no impulso e sempre achava que vinha um "sinal" para não conversarmos, pois sempre acontecia algo que ela desmarcava. Então marcamos para domingo passado e ela disse que nada iria fazer ela deixar de conversar comigo. Confesso que achei que o destino caprichou e bateram no meu carro no sábado a noite, mas eu fui. Peguei um carro emprestado, a busquei em casa e fomos para um restaurante que gosto bastante. Nos sentamos, olhamos o cardápio e passamos a conversar trivialidades, pedimos. Assim que o garçom saiu eu olhei pra ela e disse "vamos conversar sobre o real motivo de estarmos aqui", e ela assentiu com a cabeça, olhando para mim com seus grandes olhos negros.

"Me apaixonei de novo" - eu disse baixinho - "achei que depois da menina, não amaria assim tão forte de novo, quem dirá, tão cedo". Luiza ficou me olhando, como se esperasse eu dizer mais alguma coisa e me falou docemente que não foi tão rápido assim, e que desconfiava que podia ser isso, mas não sabia porque eu estava triste. "Ela não te quer? Ela sabe?".

Ri um pouco por dentro nessa hora e me deu um nervoso. "Na verdade, Luiza, nós já ficamos. Sabe quando você conhece alguém e no dia que conhece você tem vontade de ficar com a pessoa? Mas você não fica por vários motivos e nem entende direito o que você sente?". Luiza me respondeu que sim e que foi assim com o atual namorado, agora depois de dois anos, namorido. "Então, desde que nos vimos a primeira vez, sabia que minha vida ia mudar, não adiantasse o quanto eu fosse postergar. Ficamos amigos, e de repente um dia aconteceu".

"Eu conheço?" - Perguntou Luiza. Eu assenti que sim com a cabeça. Antes que ela desfiasse os nomes de algumas amigas nossas, ou minhas, que ela conhece, eu olhei pra ela e disse "é o Rafa". Luiza se calou, mas continuou me olhando.

"Eu já sabia, amigo", ela respondeu. Eu devo ter feito a maior cara de surpresa, pois ela riu. Perguntei se ele havia contado, e disse que ele havia me proibido de contar pra ela. Ela riu "não amigo, ele não me contou. Mas para ter lhe sentido tão triste eu sabia que era uma grande mudança na sua vida e olha, eu fico triste". Perguntei se ela ficava triste por mim, Luiza novamente riu e me disse calmamente para ficar tranquilo "Mas na verdade fico triste por ele, por não estar sabendo aproveitar o cara maravilhoso que você é. Eu quero bater nele". Rimos alto. "Sério, eu quero muito bater nele, esse cabeça dura. Covarde, fica com Tropeço por covardia e comodismo. Ele te ama amigo. Ele te quer muito, eu já havia sentido isso. Lembra quando vocês foram uma vez tomar vinho lá em casa? A casa cheia de gente e ele sentou ao seu lado assim que o Marcelo se levantou para ir ao banheiro. Eu vi ele se ajeitando para encostar o ombro no seu, as vezes que ele, sem sentido, lhe tocou. Eu vi o jeito que ele olhava pra você, completamente admirado com você falando. Ele só é covarde".

Acho que me senti o cara mais feliz do mundo naquele momento. Alguém que me conhecia e conhecia o Rafa, disse que ele me amava de um jeito que nem eu tinha notado. Contei pra ela como foi a primeira vez (sem os detalhes, claro), como ficávamos juntos, como ele agia, dos choros e medos dele. De como ficávamos hoje, sem beijos na boca, mas cheio de abraços e afagos. De como ele me abraçava forte quando passávamos muito tempo sem se ver e do quanto eu me sentia frustrado quando ouvia tantos eu te amo pra mim e tantos eu gosto muito quando ele se referia ao Tropeço. Contei pra ela como eu me senti amado, pela primeira vez na minha vida, quando ficamos juntos.

"Sabe amigo" - disse Luiza pegando na minha mão e a apertando gentilmente - "eu fico muito feliz por você. Alguns anos atrás você me disse que se sentia muito triste por nunca ter ouvido um eu te amo de alguém, e olha só, hoje você me disse que sabe o que é se sentir amado". Estremeci, confesso. Devo ter marejado os olhos, pois Luiza sorriu apenas com o canto da boca e apertou forte minha mão. "Ele vai estar todos os dias nas minhas orações, para perder o medo e ficar com você".

Conversamos por várias horas, falei que acho que o dinheiro e posição social podia ser um fator que o deixava temeroso e ela concordou. Lembrou do trauma que ele teve do ex-namorado viajado, de classe mais alta, de carro e gostos refinados. Do quanto ele se sentia humilhado por aquele cara e o quanto foi difícil para ele ficar longe até conhecer o Tropeço. "Amigo, pode ser sim, mas vou lhe ajudar. Vou me fazer mais presente na vida dele, vou contar da minha experiência com o namorido, do quanto tive que aprender que se ele ganha mais e melhor do que eu e quer me proporcionar as coisas eu tive que aprender a aceitar. Sabe, olhando você hoje, nesses quase quinze anos que nos conhecemos eu posso lhe dizer que nunca lhe vi tão centrado e mesmo com o coração apertado, tão sereno. Vocês devem ficar juntos, porque você e ele merecem ser felizes um com o outro".

Terminamos de jantar, conversamos muito mais e me sinto bem mais leve. É muito bom ter um amigo.

Rafa, habita-me. Aponto para o meu peito e digo: moras aqui.

11 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Se Vc acredita e quer tentar que assim seja e que os anjos digam amém. Torcendo muito por vocês ...

Beijão

Margot disse...

King....Amei o post! Rsrsr. Sua amiga é tdb.
E quanto ao Rafa, segue adiante... vamos fazer esse moço sair do poço do medo.

Ps: a foto é sua???

Beijos

Alan disse...

Ok, continuo achando o Rafa um grande medroso, mas pqp, não consigo dizer que não é amor quando leio o que sua amiga disse dele.

PS: "Rafa, habita-me. Aponto para o meu peito e digo: moras aqui." Que lindo isso!

FOXX disse...

Deus do céu, como vc só lê o que quer da conversa! Ela não tá dizendo que ele te ama, ela tá dizendo que ele é um covarde que não tem coragem de ficar com vc.
E assim... eu sou uma das pessoas que torce contra sim, mas não é porque eu ache que ele não te ame, eu acho que ele te ama, eu só acho também que ele é um covarde feladaputa que não tem coragem de ficar com vc e que provavelmente nunca vai ter, então, na minha humilde opinião... vc devia era cuidar da sua vida, achar alguém que te mereça, alguém que queira ficar com vc porque vc merece isso!

O Rei do Drama disse...

Margot, se essa foto fosse minha, eu passava o dia me lambendo. rsrs

Foxx, querido. Desculpe. Sei que minhas desculpas aqui tem muito mais significado do que os outros podem ler, mas vc vai entender. Estou cuidando da minha vida, tentando achar alguem que me merece, porque eu mereço. Nada na minha vida foi fácil e eu só posso dizer que as batalhas são perdidas após ser derrotado.

Homossexual e Pai disse...

Lindo depoimento, pungente, vc escreve muito bem, eu sempre acho que a gente aprende muito com as estórias dos outros!, e vou dizer mais, não desiste de achar alguém legal!
abs

Fred disse...

AdoreiMiami!!! Adoro saber mais de ti através desses relatos!!! E rachei o bico com a Margot (toda-toda) querendo saber se o peitinho da foto era teu... hahahaha! Bjs!

Margot disse...

Fred, na verdade eu estava de olho não era no peitinho...era no pescoço...kkkkk, mas bom saber que vc gostou do "peitinho"...kkk

PORAQUIESO disse...

Oi... Gostei muito do li. Muito mesmo. Sua amiga é bastante realista. E apesar de chamar o Rafa de covarde em não assumir que te gosta não desista mas ... Continue vivendo. Nada de tristeza. Quem sabe os caminhos com os quais vai cruzar?
Abraços !!

Dernier Évolo disse...

Que bom ... e que peito esse hein.... benza a Deus

FOXX disse...

onde vc está?
sumiu? me dá noticias no whatsapp!